Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2012

Ingratidão ...

Conhecemos os sete pecados capitais, e sabemos que o pior deles é a vaidade ou soberba, como dizia Miguel Cervantes “A ingratidão é filha da soberba”.
A ingratidão é a falta de reconhecimento alheio, é não ser grato pelo que fizeram por você, é querer sempre mais, é estar insatisfeito, é ser individualista e egoísta.
Segundo Victor Hugo, os ingratos são infelizes, isso faz parte da infelicidade deles. Quem vive infeliz não suporta a felicidade do outro, por isso o ingrato também é invejoso.
Todos nós para evoluirmos passamos por momentos difíceis e de sofrimento, são eles que nos fortalecem, nos ajudam a ter paciência e tolerância, buscando o equilíbrio entre o amor e a dor, podemos escolher, entre enfrentar uma situação pela dor, remoendo, ruminando os problemas com remorsos que podem até causar doenças, ou pelo amor que é mais difícil, pois amar é perdoar e se perdoar, é compreender, é ter compaixão, é não se culpar ou culpar os outros pelos fracassos da vida, e não reconhecer …

Se preocupe menos e viva mais

Recebi essa mensagem, como gostei muito, quero compartilhar com nossos leitores, pois será muito útil, principalmente a partir dos 40 anos...

Poupe um pouco para sempre ser independente financeiramente.
Não precisa ser muito, não comprometa o prazer que o dinheiro pode lhe dar em razão de um tempo maior de velhice, que pode até não acontecer
Se você morrer breve.
Além disso, um idoso não consome muito além do plano de saúde e dos remédios. Provavelmente, você já tem tudo e mais coisas só lhe darão trabalho.
Pare também de se preocupar com a situação financeira de filhos e netos,
não se sinta culpado em gastar consigo mesmo o que é seu de direito.
Provavelmente, você já lhes ofereceu o que foi possível na infância e juventude, assim como uma boa educação.
Portanto, a responsabilidade agora é deles.
Não seja arrimo de família, tenha amor próprio.
Tenha uma vida saudável, sem grandes esforços físicos. Faça ginástica moderada, alimente-se bem, sem exagero.
Tenha a sua própria con…