quinta-feira, 1 de abril de 2010

A vida é como um baile.

Os anos passam, mas as lembranças são eternas e a saudade permanece em busca de cenas de tempos vividos.
Os anos passam, tiramos lições da vida e aprendemos a vasculhar nas nossas recordações os mais lindos momentos.
Os anos passam, crescemos em consciência, mas sempre seremos frágeis no amor.
Os anos passam, muitos virão, na nossa estrada da vida, enfrentando os momentos difíceis e nos deliciando com os momentos felizes que são efêmeros devido a nossa constante insatisfação.
A vida é como um grande baile, em que pessoas se encontram se unem e se separam conforme o ritmo da musica. Cada um bailando nos conflitos, nas esperanças, e na suavidade do ritmo, curtindo os momentos de alegria e satisfação que ficarão na memória para sempre.
Viver é atuar no filme da sua vida, sendo o protagonista, fazendo sucesso, inflando seu ego, com vaidade gerando ciúme e inveja às vezes. Chamando atenção, querendo ser valorizado e reconhecido.
Ganhar muito dinheiro é o desejo da maioria, claro. Mesmo ganhando mais do que precisa, vai achar que será menos do que merece.
Viver o presente é difícil, pois ele é instantâneo, e logo já virou passado, queremos antecipar o futuro planejando, às vezes se realiza ou não dependendo de vários fatores, internos e externos, inclusive sua personalidade e inteligência, que pode ser moldado, adaptado e decorado, mas não mudamos na essência, pois nos transformamos no que realmente somos e queremos ser com algumas decorações de interiores como uma casa reformada, mas o alicerce será o mesmo podendo ser reforçado ou destruído.
Viva o presente recordando os bons momentos do passado, a vida é curta como um baile.
Que 2010 seja melhor que 2009 e pior que 2011.
Boas festas a todos os leitores do Semanário da Zona Norte, sempre para frente e para o alto.




Marco Antonio Garcia
Psicoterapeuta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Benefícios do Pensamento positivo Somos o que pensamos e acreditamos desde a infância. Sabemos que os tempos não estão fáceis, mas ...