segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Morte

ARTIGO PARA O JORNAL “ O SEMANÁRIO DA ZONA NORTE "


A única certeza que temos ao nascer é que vamos morrer, e mesmo assim é um dos maiores temores da maioria das pessoas.
Porque será ?.
Será devido as questões existenciais que indagamos como:
De onde viemos?
O que fazemos aqui ?
Para onde iremos?
As Religiões, a Mitologia, as Filosofias de vida, as Seitas as Ordens, procuram dar explicações para esse questão mortal, talvez para aliviar e controlar o sofrimento humano. O animal humano provavelmente é o único que tem consciência da sua existência e a necessidade da divindade, devido a grande insegurança pessoal.
Jung escreveu o seguinte sobre a morte. “ É no misterioso momento do meio dia da vida que acontece o nascimento da morte”. Por volta dos 35 aos 45 anos , quando a curva da vida alcança o auge dá-se a transição, mesmo assim muitos estão entre o desejo de viver e o desejo de morrer, no entanto só permanecerá vivo quem estiver disposto a morrer com a vida.
O sentimento de perda das pessoas próximas , envolve solidão, insegurança, culpas, angustias, abandono . O processo de Individuação bem compreendido nos ajuda a aceitar e nos preparar para a morte. Verificamos em consultório que crianças , adolescentes, adultos e idosos tem medo da morte, cada um do seu modo de ver .
Para alguns a morte pode ser o fim de um período de sofrimento através da auto destruição devido a tensão excessiva ( Romeu e Julieta ), para outros pode ser a transformação, a passagem a continuidade para a vida eterna. Outros morrem para viver na memória daqueles que o admiravam e idolatravam, outros morrem anonimamente e indigentemente.
A Morte, décimo terceiro arcano do Tarô, é um símbolo ambivalente onde vida e morte se completam. A morte pode ser a suprema libertação e transformação das coisas .
Na mitologia grega a morte ( Tânato ) , fazia-se filha da noite e irmã do Sonho, e relaciona-se com o elemento terra ,e o esterco está associado ao seu simbolismo.
Na mitologia Romana (Mors )e no Islã, a morte do herói assimila-se ao iniciado sublimado.
Jung acreditava que a psique inconsciente ignora a morte como sendo um fim, e que os sonhos continuam a ocorrer como se nada estivesse por acontecer e o processo de individuação fosse o sentido da vida independente da morte estar ou não a caminho. No entanto existem situações prospectivas onde o inconsciente não ignora a aproximação da morte, é quando o sonhador tenta forjar ilusões para si mesmo a respeito do fim eminente, diz M.L .von Franz.
Sonhos com morte são comuns, podem ser assustadores, mas raramente seu significado é a morte, podem anunciar mudanças e transformação em nossas vidas, preste atenção nos sonhos e em suas mensagens.
Quando me perguntam se tenho medo da morte, respondo que tinha medo quando era vivo , agora não tenho mais .
Não tenho respostas sobre a morte e sim reflexões, como :
Será que a vida é eterna ?
Será que somente nós existimos neste Universo ?
Será que somos parte de um todo existencial infinito no tempo e no espaço ?
Será que a existência terrena material é finita sem influencia de energias cósmicas ?
Também não sei responder a essas questões, tenho apenas opiniões e idéias a respeito, e que cada um tenha a sua, e respeito a opinião alheia democraticamente. Só sei que devemos ser e fazer o melhor aqui e agora, sem se angustiar pelo passado e nem sofrer ansiosamente pelo futuro. Se existir algo além vai depender do que fizemos aqui, se não existir pelo menos fizemos o melhor que pudemos.
Na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma, reflita ...
Muita paz e amor a todos na vida e na Morte.


Marco Antonio Garcia
Psicólogo Clinico
Psicoterapeuta Junguiano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

                                                         Amar a si mesmo Você se ama? Está feliz com sua vida? Procura tomar dec...